Sobre Novo Hamburgo

Cidade de Novo Hamburgo

Novo Hamburgo é um município do estado do Rio Grande do Sul, no Brasil.

História

Antes da chegada dos primeiros europeus à região, no século XVI, a mesma era habitada por índios carijós. As primeiras povoações permanentes de Novo Hamburgo datam do século XVIII, quando imigrantes açorianos se instalaram na parte noroeste da cidade, no bairro hoje conhecido como Rincão dos Ilhéus, ou simplesmente Rincão. Em 25 de Julho de 1824, os imigrantes alemães começaram a chegar à Colônia de São Leopoldo e logo desenvolveram uma próspera sociedade rural na região do Vale dos Sinos. Pouco depois, começaram a aparecer pequenos núcleos urbanos nas colônias. Um deles ficava na área de Hamburger Berg (que hoje é o bairro Hamburgo Velho), a partir de onde se originou a Novo Hamburgo atual.

O movimento emancipacionista começou a se delinear no início dos anos 1920. A Liga Pró-vilamento, formada em 1926 por várias importantes personalidades da cidade, foi recebida pelo governador do estado e, em 5 de abril de 1927, houve a emancipação do município. Guilherme Ludwig foi eleito para o cargo de vice-intendente, sendo Leopoldo Petry o primeiro intendente de Novo Hamburgo.

Tendo a cidade se emancipado de São Leopoldo, sua industrialização se acelerou, tornando-se um dos pólos econômicos do Vale do Sinos. Por muito tempo, a indústria foi praticamente formada apenas pela cadeia coureiro-calçadista, com várias empresas de destaque. Entre os pioneiros se destacam Nicolau Becker, criador do primeiro curtume da cidade, Guilherme Ludwig, Pedro Adams Filho, Augusto Jung, Pedro Alles e Artur Haas.

O crescimento trazido pelo calçado atraiu inúmeros imigrantes, inchando a cidade a partir da década de 1960 e originando a maior parte dos problemas sociais, dada a incapacidade dos governantes de acomodar a todos adequadamente. Embora a crise dos anos 1990 tenha estancado o crescimento populacional hamburguense, agudizou os problemas mais graves da cidade como favelização, transporte insuficiente e deficiências na infraestrutura. Atualmente, a cidade possui um dos edifícios mais altos do Rio Grande do Sul, o Residencial Sunset, situado no alto do bairro Hamburgo Velho, com 28 andares, assim como o Porto Brasil, no bairro Vila Rosa, também com 28 andares.
A preponderância coureiro-calçadista, com forte caráter exportador, na economia permaneceu até o início da década de 1990, quando uma forte crise econômica na região, a partir do governo de Fernando Collor de Mello, forçou uma diversificação econômica. A situação foi agravada com a concorrência chinesa nos mercados internacionais e, a partir do ano de 2003, pela valorização do real que levou ao fechamento de diversos curtumes e fábricas de calçados e à demissão de milhares de pessoas.

Economia

A economia de Novo Hamburgo nasceu e desenvolveu com a indústria do calçado. Foi uma fase muito rápida, persistente e organizada, sendo reconhecida como a Capital Nacional do Calçado. Por causa disso, surgiu o chamado setor coureiro-calçadista formado por curtumes, indústrias químicas, componentes para calçados, indústria metalúrgica e componentes eletrônicos. Aparecendo ainda o setor de plástico e o metal-mecânico que começam a fazer parte na economia do município.

Hoje Novo Hamburgo inicia a desfrutar uma nova fase de diversificação industrial, acompanhada com especial atenção pela administração municipal. Como incentivo fiscais com a instalação de novas indústrias, facilitando sua implantação e abrindo a porta para novas atividades. O município já inclui indústrias de farmácia, vestuário, cosméticos, móveis, eletrodomésticos, gráficas de última geração, informática, química, construção civil, carrocerias, alimentos, entre outras.

Devido a atividade industrial e comercial conta com a administração da Associação Comercial, Industrial e de Serviços e Câmara de Diretores Lojistas, com participação efetiva junto aos governos estadual e federal.

A Feira Internacional de Calçados e Artefatos de Couro é considerada uma das importantes feiras do setor calçadista em Novo Hamburgo. Se realiza anualmente desde 1963 e, além de divulgar a cidade internacionalmente, esta promovendo o potencial de nossa indústria calçadista na região dos Vale dos Sinos. O parque de exposições da feira tem oito pavilhões climatizados, construídos numa área de 25 000 metros quadrados com salão de convenções e palestras, lancherias, hotel, restaurante panorâmico e quadras de tênis.

Cultura

Novo Hamburgo apresenta razoável quantidade de exemplares arquitetônicos históricos.

No centro histórico, localizado no bairro Hamburgo Velho, encontra-se ainda algumas edificações construídas na técnica enxaimel, como o atual Museu Comunitário Casa Schmitt-Presser (primeiro exemplar da técnica tombado pelo IPHAN no Brasil), a Casa Kayser e a Casa Ody (trata-se de uma réplica da original, já demolida).

Existem ainda as obras do arquiteto alemão Ernst Seubert, posteriores a esta etapa construtiva. Entre as conhecidas, estão a Igreja dos Reis Magos (IECLB), a Igreja Nossa Senhora da Piedade, a antiga Padaria Reiss, a Casa Schmitt ("Casa Rosa"), entre outras. Destacam-se ainda, o prédio neoclássico da Fundação Scheffel, o art déco do antigo Bar Olá Maracanã, no encontro das Ruas General Daltro Filho e Maurício Cardoso, a Casa Pittanti, entre outras.

Ligando o Centro Histórico ao atual Centro da cidade, existe um corredor histórico-cultural. Trata-se da Rua General Osório, ao longo da qual encontram-se dezenas de prédios históricos de diversas épocas. Destacam-se neste corredor, o prédio do Colégio Santa Catarina, o prédio da antiga Sociedade Frohsin (atualmente GSFM), projetado pelo arquiteto alemão Theo Wiederspahn, as casas das famílias Richter, Klein, Momberger, Snel, Grünn; o antigo Posto Engel, entre outras. Esta rua é reconhecida pelo Plano Diretor do Município como área de interesse histórico-cultural.

No bairro Centro, destacam-se a Basílica São Luís Gonzaga e a Igreja Evangélica Luterana da Ascensão, ambas construções historicistas da década de 1950. A segunda segue o estilo neogótico, com formas puras do gótico original, algo já incomum para esta época tão recente.

Existem, ainda, dezenas de casas ecléticas distribuídas pelos eixos históricos, porém estas não são reconhecidas oficialmente.

A cidade de Novo Hamburgo apresenta ainda alguns interessantes exemplares do modernismo, principalmente residências construídas a partir das décadas de 1950-1960.

No distrito de Lomba Grande, existe significativo patrimônio, ainda não reconhecido e devidamente inventariado. A Rua João Aloísio Allgayer, no entanto, também é considerada um corredor de interesse cultural no Plano Diretor.

Para homenagear a comunidade de moradores desta maravilhosa cidade, o Encontra Rio Grande do Sul criou o Encontra Novo Hamburgo .

Blog do Guia da Cidade de Novo Hamburgo

Receba notícias por e-mail
Cadastre-se e receba notícias de Novo Hamburgo por email
 

Limites - Cidades Vizinhas

Campo Bom, Dois Irmãos, Estância Velha, Gravataí, Ivoti, Sapiranga, São Leopoldo e Taquara.

Dados Principais sobre Novo Hamburgo

Aniversário: 05 de Abril
Fundação : 1927
Gentílico: hamburguense
Area: 223,606 Km²
População 239 051 hab. (2010)
IDH 0,809 - elevado
Prefeitura Novo Hamburgo

Brasão de Novo Hamburgo
Brasão de Novo Hamburgo

Bandeira de Novo Hamburgo
Bandeira de Novo Hamburgo

Vídeo sobre a cidade de Novo Hamburgo
Veja mais vídeos sobre a Cidade de Novo Hamburgo

Mapa de Novo Hamburgo

 

Moradores ilustres de Novo Hamburgo

 

   

  Sobre o EncontraNovoHamburgo
Anuncie no EncontraNovoHamburgo
Cadastre sua Empresa no EncontraNovoHamburgo (grátis)
Fale com EncontraNovoHamburgo


Termos do Serviço | Política de Privacidade